Ordem do ano? Poupar

Ordem do ano? Poupar para semear.

Estes são tempos extraordinários que perdurarão para sempre na nossa memória. Estejamos cá daqui a 10 anos, 20 ou 30 anos, todos vão relembrar este período de clausura voluntária com o intuito de travar esta epidemia que nos está a conduzir para panoramas nunca testados pela Humanidade.

É uma conjuntura irrepetível que nos concedeu o usufruto de um momento único para uma reflexão pessoal profunda.

Este blogue nasceu neste período excecional e sinto-me orgulhosa de ter dado este primeiro passo da minha estratégia. Sempre desejei ser uma profissional das minhas finanças pessoais: eliminar as dívidas, saber ganhar mais dinheiro e saber onde investi-lo.

Com todo o conhecimento que tenho tido em livros, blogues, redes sociais, podcasts, etc., cheguei à conclusão de que a minha liberdade financeira não será alcançada apenas com o corte de despesas do dia a dia. Não menosprezo esse passo, até porque desde dia 01 de abril tenho estado a fazer um registo detalhado de todas os gastos e lucros para saber, efetivamente, para onde esvoaça o meu dinheiro.

Em suma, tenho três tipos de metas financeiras:

  • Curto Prazo (em 2020): ter conhecimento onde gasto o dinheiro e fazer um orçamento para controlo do mesmo; reforçar a minha reserva de emergência; gerar mais uma forma de rendimento; investir todos os meses na minha carteira de investimentos (para a vida toda);
  • Médio Prazo (2021-2026): eliminar todas as dívidas; reforçar a minha carteira de investimento;
  • Longo Prazo (2036): Alcançar a independência, isto é, ter a liberdade financeira para não ter que fazer nada!

É natural que com o passar dos anos, este plano sofra adaptações. O importante não haver nenhum desvio do objetivo principal: no meu caso a liberdade financeira.

Neste ponto, a importância da criação de metas realistas, mensuráveis e tangíveis é crucial para qualquer traçado.

Pessoalmente, com o propósito de atingir essa liberdade financeira, o passo básico será o cimentar da carteira de investimentos através da eliminação de gastos supérfluos e pelo aumento gradual de rendimento obtido. Eliminar despesas é para mim uma visão bastante redutora das armas disponíveis que há para anular as dívidas e ter mais créditos monetários. Com o aparecimento da internet, há cada vez mais oportunidades em investir numa lista interminável de produtos (vejamos o aparecimento de plataformas como a DeGiro) mas também em criar novas formas de rendimento. Além do mais, devemos, na minha opinião, apostar no desenvolvimento de mais vertentes, além da financeira.

  • Investimento pessoal: apostar no conhecimento e desenvolvimento pessoal;
  • Investimento nos relacionamentos sociais, na nossa família;
  • Investimento na nossa saúde física e mental;

Todas estas áreas são cruciais para a criação de uma jornada de vida feliz e equilibrada. E, no fundo, é isso que almejamos.

Com este blogue, o meu objetivo é colocar uma semente nova na minha vida para a colher daqui a muitos anos – a liberdade financeira.

E o primeiro passo é fazer esse registo de despesas/receitas porque é a base para obter uma visão geral das minhas contas financeiras. O objetivo é entrar em saldo positivo ao fim de cada mês com o intuito de atingir as metas propostas. E ter que memorizar esses dados neste blogue acaba por ser o impulsionador certo para o sucesso deste meu plano financeiro.

1 comentário a "Ordem do ano? Poupar"

  1. Independentemente do objetivo, poupar deve ser sempre o nosso caminho.
    Não sabemos o futuro e a prova disso é o que estamos a viver.
    Mais uma vez não aprendemos com o passado e com as experiências dos outros.
    Beijinhos

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.